Work from home: o que você precisa saber sobre essa tendência

Work from home
7 minutos para ler

A inovação tecnológica instaurou no mundo uma visão nova sobre a eficiência do trabalho de profissionais com atividades específicas e, por isso, temos encontrado no mercado o formato work from home ou, como é mais conhecido, home office.

Como estratégia de negócio para otimizar o trabalho e manter o padrão motivacional dos colaboradores, algumas empresas têm adotado o sistema que permite que o profissional cumpra sua jornada de trabalho sem, necessariamente, estar presente na empresa.

Neste post vamos falar sobre essa tendência, sua aplicação legal e como ela pode favorecer tanto a empresa quanto os colaboradores. Também abordaremos como implementá-la de forma correta para que no final seja uma estratégia de sucesso!

Conceito de work from home

O work from home caminha com a evolução e as tendências do futuro, em que os profissionais com atividades que podem ser executadas de forma remota têm a permissão para trabalhar em um ambiente fora da empresa e, ainda assim, gerar os mesmos resultados esperados.

As empresas que aderem a esse formato normalmente têm em seu escopo muitos projetos estratégicos, que exigem uma análise detalhada e bem estruturada antes de qualquer aplicação.

Os profissionais envolvidos têm perfil analítico e criativo, sendo assim, a partir do conhecimento técnico e teórico, eles possibilitam um trabalho a distância, desde que conectado digitalmente para facilitar a comunicação e a troca de informação.

A legislação aplicável à modalidade de trabalho

A legislação assegura que um funcionário em work from home tenha os mesmos direitos que aquele que atua diretamente dentro da empresa. A modalidade já é regulamentada pela CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) e garante a aplicação trabalhista e previdenciária nos mesmos moldes.

No contrato de trabalho deve constar tudo que for acordado entre as partes — fornecimento de equipamento e responsabilidades mútuas sobre as despesas geradas com energia elétrica e internet, por exemplo.

Além de informações sobre a infraestrutura e todo o material necessário para a execução das atividades, no contrato também deve ficar claro que para esse tipo de modalidade de trabalho não há limite de horas trabalhadas e pagamento de hora extra.

Todos os benefícios que um funcionário assíduo da empresa tiver, serão concedidos a quem atua em regime work from home, exceto o vale-transporte, pela própria condição de trabalho. Caso ele necessite se deslocar até a empresa, esta será obrigada a fornecer o benefício.

Vantagens para as empresas e colaboradores

Não é qualquer funcionário que poderá trabalhar no formato work from home. Sendo assim, a empresa em fase de implantação deve estar municiada dos argumentos corretos para não criar animosidade entre os times.

Determinadas atividades exigem a utilização de maquinário próprio, in loco, com resultados práticos e imediatos, sendo impossível deslocar para outro espaço que não seja as dependências da empresa.

A opção por autorizar que profissionais atuem em casa ou em qualquer outro espaço diferente da organização deve obedecer a premissas básicas compensatórias para ambas as partes. Vamos conhecer algumas delas!

Maior produtividade

A produtividade leva à rentabilidade e, consequentemente, a uma maior e melhor visibilidade da empresa no mercado e valorização da marca. Contar com profissionais que ajudam alcançar esse patamar é um dos objetivos das organizações.

Ao consentir que um funcionário trabalhe de casa, a empresa alimentará o campo motivacional com a liberdade de criação e o tempo de resposta determinado na proposta do projeto previamente acordado, mas sem a pressão diária imposta na jornada convencional.

Economia de despesas

Enviar um número determinado de profissionais para modalidade home office ajudará a reduzir gastos significativos com locomoção, alimentação, manutenção de estrutura, energia elétrica (uma estação de trabalho a menos para cada funcionário), entre outros.

A empresa deverá arcar somente com o que estiver previsto e acordado em contrato de trabalho, o que é favorável, já que não é possível mensurar efetivamente os gastos mensais de contas por consumo.

Retenção de talento

A era tecnológica além de evoluir com a inteligência artificial aplicada a vários tipos de segmentos ajudou a desenvolver também a inteligência cognitiva dos usuários, que definidos por gerações se amparam na transformação digital e na virtualidade para se manter conectados full time.

São muitos talentos contemplados por uma inteligência diferenciada que já não se prendem mais em qualquer proposta de trabalho e, com isso, tendem a escolher por aquela com maior flexibilidade diária para equilibrar a vida profissional e pessoal, priorizando o bem-estar e a qualidade de vida. Assim, eles não pedem demissão tão facilmente.

Dicas de como realizar uma implantação bem-sucedida

O hábito de manter os funcionários próximos, sob os olhos da gestão, pode ser um entrave para as empresas que desejam aderir a essa tendência. É preciso mudar a concepção da relação de empregado x empregador e avaliar os prós e os contras da adesão.

Feito isso, é hora de analisar alguns tópicos essenciais para fazer uma implantação de sucesso, que gere resultados positivos para todos os envolvidos sem, contudo, alterar a essência da empresa, para que não se percam os valores no meio do caminho e o foco nas metas a serem alcançadas.

Perfil dos colaboradores

Comece a analisar o formato da implantação pelo perfil dos colaboradores que potencialmente podem estar aptos a migrar para a nova modalidade. Devem ser profissionais com atividades independentes e projetadas a médio e longo prazo, que possam executar o trabalho de qualquer estação remota.

Ter regras sobre esta prática

Por mais que as atividades realizadas em caráter work from home pareça um convite a trabalhar menos e ganhar mais é preciso ficar claro que existem regras e prazos a serem cumpridos.

Um funcionário em trabalho home office não poderá, por exemplo, deixar de responder as mensagens ou e-mails durante a jornada diurna ou de comparecer à empresa quando sua presença for solicitada.

Analisar cada caso

Mesmo que um time de funcionários esteja em um mesmo projeto, nem todos estarão aptos a atuar de fora da empresa. A decisão dependerá do tipo de atividade executada no momento, do perfil do colaborador (há perfis que realmente carecem de um acompanhamento próximo) e da estrutura disponível.

Pode ser que na localidade onde resida um determinado funcionário não haja, por exemplo, serviços de internet favoráveis a uma conexão rápida e eficiente, podendo prejudicar o andamento das atividades.

Acompanhar os profissionais de perto

O ser humano aprecia ser acompanhado e receber os méritos por sua boa atuação. A relação de trabalho e a importância de a empresa manter um padrão de acompanhamento dos seus profissionais não deverá se alterar com a adoção do formato work from home.

Muito pelo contrário, os colaboradores atuantes fora deverão ser acompanhados sistematicamente, com suporte das áreas correlatas para manter a sociabilidade aquecida e os resultados abrangentes e reflexivos em todos os setores da empresa.

A evolução tecnológica é progressiva e as empresas devem estar preparadas para as tendências do futuro que envolve não apenas soluções de softwares e mecanismos digitais.

Também devem atentar à incorporação da mão de obra humana com altas doses de conhecimento sobre as suas competências e, também, deve estar pronta a disponibilizar as melhores condições de trabalho.

Você gostou deste post sobre a tendência de implantação do work from home? Então, aproveite a visita para assinar a nossa newsletter e fique sempre por dentro de todas as nossas atualizações na sua caixa de entrada!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-