Porque a gestão horizontal tem atraído tantos talentos? Entenda!

Porque a gestão horizontal tem atraído tantos talentos? Entenda!
6 minutos para ler

A hierarquia é uma característica intrínseca do mundo dos negócios. Ao pensarmos em uma organização de sucesso, logo vem à mente figuras como CEO, coordenadores e gestores. No entanto, o conceito de gestão horizontal tem quebrado esses paradigmas e colocado os profissionais e as equipes no protagonismo do cenário empresarial.

Esse processo tem foco, sobretudo, em uma comunicação com menos barreiras e na flexibilização das hierarquias.

A gestão horizontal convoca a participação ativa de todos os membros da organização e tem como objetivo processos mais fluidos, pessoas trabalhando com propósito e resultados mais satisfatórios.

Que tal entender mais sobre esse modelo de gestão e descobrir como ele pode ser um diferencial para a sua empresa? Continue a leitura!

Colaboradores têm maior autonomia

A centralização das decisões pode se tornar uma verdadeira sentença de morte em algumas organizações. Enquanto alguns gestores têm dificuldade em delegar, na gestão horizontal a proposta é que os profissionais tenham cada vez mais autonomia.

É claro que essa autonomia não é isenta de responsabilidades. Mas é a partir desse fator que se gera ownership — o sentimento de dono.

Além da possibilidade de tomarem, sozinhos, decisões que podem influenciar os resultados da organização, os profissionais se tornam aptos para a gestão de conflitos, eliminando etapas burocráticas não necessárias para uma produção eficiente.

Foi para sair de uma grande crise que a Tesla Motors aderiu à gestão horizontal, por exemplo. O objetivo do CEO Elon Musk era que todos tivessem autonomia para pensar em soluções e resolver conflitos de forma imediata e eficaz.

A criatividade é fomentada

A rigidez da hierarquia em algumas empresas acaba impedindo a liberdade necessária para processos criativos. Adotar uma gestão horizontalizada permite que colaboradores se sintam mais livres para pensar novas ideias, além de comunicar dúvidas e sugestões.

Empresas que investem nesse modelo não punem pessoas por seus erros, mas fomentam a tentativa e o aprendizado constante. Esse mindset estimula a criatividade e a inovação.

A comunicação clara é prioridade

Um dos problemas centrais em qualquer organização é a comunicação não eficaz. O modelo de gestão vertical acaba favorecendo a criação de “detentores da informação”, o que faz com que certas situações nunca cheguem ao conhecimento de profissionais das baixas hierarquias.

O resultado são colaboradores insatisfeitos por estarem “cegos” aos acontecimentos da empresa, gerando inclusive a repercussão de boatos não verdadeiros.

Assim, adotar uma comunicação transparente e horizontal é extremamente benéfico para organizações, porque democratiza o acesso às informações e permite que profissionais de todas as hierarquias conheçam os motivos dos processos que fazem parte de suas rotinas.

A troca de conhecimentos é promovida

O aprendizado constante tem sido a chave para o desenvolvimento de muitas empresas. Isso porque se trata do desenvolvimento de seus próprios profissionais, que passam a aplicar conhecimentos adquiridos em suas rotinas.

A circulação com maior liberdade de informações e conhecimentos é uma característica interessante da gestão horizontal.

Saberes que, antes, ficavam restritos ao alto escalão e a técnicos especialistas passam a ser compartilhados com todos aqueles que tiverem desejo de aprendizado.

Essa troca de conhecimentos dá aos profissionais uma visão ampla de todos os setores e dos desafios que seus colegas enfrentam, além de acrescentar ao repertório pessoal de informações que podem ser usadas na tomada de decisões inteligentes.

O espaço é aberto para inovação

Um dos motivos para empresas como Google e Netflix serem grandes adeptas da gestão horizontal é que elas são totalmente movidas pela inovação. Um modelo vertical tradicional simplesmente não favorece um cenário de inovação constante, justamente por seus cerceamentos.

Novas tecnologias e metodologias, como o SCRUM e o design thinking, são ideais para um ambiente horizontal com foco em inovação.

O SCRUM é um framework de trabalho especializado na gestão de projetos. Essa ferramenta tem sido usada como método ágil para obter maior produtividade e habilidade para lidar com mudanças.

Já o conceito de design thinking também tem sido absorvido por empresas que desejam criar uma cultura de inovação, em que todos os processos são focados na resolução dos problemas do público-alvo.

A atuação é interdisciplinar

Outra característica interessante da gestão horizontal é a não fixação de profissionais em cargos específicos. Eles são livres para transitar em suas áreas de conhecimento de forma a colaborar com outros colegas e pensar soluções de maneira interdisciplinar.

Esses fluxos geram um ambiente totalmente interativo e colaborativo, de constante parceria e desenvolvimento mútuo. A autonomia conferida aos profissionais não gera competição, mas sim um desejo de trabalho em equipe por objetivos centrais.

O aprendizado é maior

É claro que um ambiente tão dinâmico, com comunicação eficaz e espaço para inovação, resulta em maior aprendizado para profissionais de todos os níveis.

Esse aperfeiçoamento não está restrito a competências técnicas, as hard skills. Apesar de o desenvolvimento técnico ser um propósito de organizações de sucesso, o aprendizado das soft skills é altamente valorizado.

Elas são habilidades como a comunicação, a liderança, o trabalho em equipe, a empatia, o gerenciamento de tempo e de conflitos, a flexibilidade e outros.

O aprendizado constante agrega valor à empresa e, além de criar um ambiente organizacional sadio, aumenta o reconhecimento da corporação como um bom local de trabalho para novos talentos.

A atuação é mais propositiva

Empresas adeptas da gestão horizontal podem experimentar uma mudança completa em sua cultura organizacional e no comportamento de seus colaboradores — ressalta-se a atuação propositiva, que passa a ser comum nas equipes. São pessoas trabalhando com propósitos claros, de forma proativa, e oferecendo constantes sugestões para a melhoria de processos.

Esse tipo de atuação é valioso para empresas que desejam se destacar no mercado e na atração de novos talentos, afinal, esse espaço aberto para atuar de forma mais livre e com mais senso de propósito é um dos fatores que mais têm influenciado a satisfação de profissionais.

Sabemos o quão desafiador pode ser adotar uma gestão horizontal na organização. Entretanto, esse modelo tem valores inestimáveis, que podem transformar a forma de comunicar, produzir e se relacionar em uma empresa. Que tal seguir o exemplo de gigantes como Google, que já usam esse conceito?

Se este artigo ajudou você a perceber o potencial da gestão horizontal para empresas, compartilhe-o com seus colegas em suas redes sociais!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-